Bitcoin: a rainha das moedas digitais

Muito se fala, mas pouco se explica.

Esta é a realidade da criptomoeda mais conhecida da atualidade: a bitcoin.

Todos os dias ouvimos falar acerca dela, sobretudo nos meios de comunicação social, no entanto estes não explicam os aspetos mais básicos: o que é, como funciona ou quanto vale. Este é um cenário ainda bastante desconhecido para a generalidade da população. Importa então conhecer e compreender um pouco mais.

As bitcoins são moedas virtuais; são códigos encriptados, para os quais existem carteiras próprias na web ou no computador, e cuja emissão e transmissão não é controlada por nenhum banco central ou Governo. Estas operações são feitas por uma rede de computadores distribuída pelo mundo inteiro, cujo histórico é aberto e transparente, sendo guardado numa base de dados a que se chama blockchain. Este é um software que permite certificar todas as transações da criptomoeda, sem intermediários e com risco mínimo de falsificação.

Investir em criptomoedas com segurança não é fácil. Há cada vez mais fraudes. A forma mais simples para comprar bitcoins é aceder a um site de troca de criptomoedas, as chamadas “bolsas cripto”. Estes são sites nos quais é possível transferir euros e trocá-los por criptomoedas ou cambiar diferentes criptomoedas. Depois, é preciso armazenar as “moedas” numa “carteira” – wallet. O que se armazena não são bitcoins propriamente ditas, mas sim as chaves privadas que permitem validar as transações e movimentar as criptomoedas.

Algumas instituições de pagamentos do setor financeiro começam agora a oferecer a possibilidade de comprar e armazenar criptomoedas, ao lado dos serviços habituais. É o caso da Revolut, que permite adquirir bitcoins e outras criptomoedas através da sua app.

Ainda assim, importa referir que tudo isto implica sempre alguns riscos. A bitcoin apresenta uma grande volatilidade, uma vez que tem apresentado grandes variações relativamente ao seu valor (que no passado dia 13 de março cruzou a marca dos 60 mil dólares – cerca de 50.195 euros). Além disso, os mercados pouco desenvolvidos e sem regras, bem como o elevado número de burlas lançadas a coberto da indefinição legal, contribuem para o aumento desses riscos.

Deste modo, dada a aposta cada vez maior na criptomoeda, é extremamente importante informar os cidadãos acerca desta realidade. A par disso, é também fulcral apostar num reforço de legislação e fiscalização nesta área.

Um comentário a “Bitcoin: a rainha das moedas digitais”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *